logotipo

Entendendo a celulite

Ondina Maria Moreira Aguiar

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

A "lipodistrofia ginoide", popularmente conhecida como celulite, é uma alteração da superfície da pele onde surge o aspecto clássico de "casca de laranja", com irregularidades que alteram o formato corporal e causam grande desconforto ao seu portador, geralmente as mulheres.

Ela aparece em locais e com intensidade variáveis e mesmo pessoas magras não estão livres dela. Isto porque a celulite não está ligada somente ao volume de gordura do corpo, mas também a problemas estruturais das camadas da pele e à retenção de líquido nestas camadas. A obesidade pode piorar a situação, já que o excesso de gordura comprime pequenos vasos responsáveis pela drenagem da pele.
Em relação às alterações estruturais da pele, o que se nota é a falta de elasticidade dos septos fibrosos, estruturas que funcionam como uma rede que suporta as várias camadas de células, e que devem ser elásticas para que a superfície da pele se mantenha sempre lisa.  Quando estes septos estão mais rígidos, menos capazes de se alongar, qualquer aumento de volume das camadas profundas da pele, seja por acúmulo de líquido (edema), seja por aumento da quantidade de gordura, acaba por desencadear as indesejáveis saliências características da celulite.
Quanto às causas do problema, sabe-se que há influência de hormônios, em especial aqueles presentes em maior quantidade nas mulheres. Também nelas o período pré-menstrual, onde há naturalmente maior retenção de líquidos pelo corpo, predispõe ao agravamento da celulite. Tendência genética e alguns hábitos como o fumo e o uso de roupas apertadas pioram o problema.
É fundamental a quem deseja eliminar suas celulites que se adote um estilo de vida saudável, com exercícios, dieta adequada e controle do peso corporal.  E, para ajudar neste resultado, existem técnicas e aparelhos que atuam diretamente na questão edema, circulação e relaxamento dos septos fibrosos. Um dos métodos mais reconhecidos por sua eficácia é o Velashape II, com aplicações semanais que envolvem quatro modalidades de ação: a luz infravermelha, a radiofrequência bipolar, o mecanismo de vácuo e a massagem, sempre com melhor resultado quando realizada por profissional experiente.
Enfim, não se pode dar adeus definitivo à celuite, mas é possível se obter grande melhora com o auxílio da ciência e com mudanças positivas no estilo de vida.


Dra. Ondina Maria Moreira Aguiar
CRM 63.209
Dermatologista
(19) 3405.8083 | 3604.1683
Av. Brasil, 1500 - sala 206
2º andar - Edifício Miami
Frezzarin, Americana