logotipo

Carboxiterapia e as dúvidas mais frequentes

Juliana M. de Barros

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Um tratamento contra gordura localizada, celulite, estria e flacidez

O que é Carboxiterapia?
É uma técnica desenvolvida pelo francês Dr. Jean Baptiste Romuef e trata-se da introdução subcutânea de dióxido de carbono (CO2) puro, atóxico e medicinal. Devido a estas características do gás, torna-se um procedimento seguro e sem riscos de efeitos sistêmicos.

Quais são os benefícios? 
O gás carbônico é um vasodilatador que age melhorando a micro-circulação e oxigenação dos tecidos. Atua estimulando a formação de colágeno e de novas fibras elásticas na região aplicada, auxilia na remoção dos nódulos causados pela celulite e na quebra das células de gordura.

Quais as indicações para carboxiterapia? 
No combate à celulite, na redução da gordura localizada, na redução de medidas, no combate a flacidez, na melhora do aspecto das estrias, na pré e pós lipoescultura (para evitar fibroses), na remoção de olheiras e no rejuvenescimento facial.

Qual é o resultado esperado? 
O resultado esperado depende de fatores como o tipo de pele, biotipo do paciente, o grau da alteração que será tratada e os hábitos alimentares. É possível notar a pele mais saudável, enrijecida e a redução de alguns centímetros nas medidas normalmente a partir da sexta sessão. Em alguns casos como flacidez de pescoço e de pálpebra os resultados são percebidos já na segunda sessão.

Como é feita a aplicação? 
O Dióxido de Carbono (CO2) é infiltrado de forma controlada no tecido subcutâneo através de uma agulha muito fina (como a de insulina). No momento da aplicação há uma sensação de ardor por poucos segundos na área que está sendo tratada.

Qual deve ser a frequência das aplicações?
De uma a duas vezes por semana com duração de quinze a quarenta minutos, conforme o tamanho da área a ser tratada.

Quais são as contraindicações? 
Quando presentes a gestação, a epilepsia, hipertensão arterial aguda, coagulopatias, doença grave dos pulmões ou coração (que comprometam a eliminação normal do gás), infecção no local da aplicação e anemia.

Tem efeitos colaterais?
Não existem casos documentados de efeitos colaterais importantes ou de complicações decorrentes do tratamento pela carboxiterapia. Exceção para os reduzidos hematomas formados devido à punção.

Deve-se ter algum cuidado posterior à aplicação?
Não é necessário ter nenhum cuidado pós-aplicação ou qualquer outro tipo de tratamento complementar, após a sessão já poderá retornar às suas atividades normais.

Qual profissional está apto para aplicar a técnica?
Segundo o acordão número 293 de 16 de junho de 2012 do Conselho Federal de Fisioterapia e Terapia Ocupacional, a Carboxiterapia pode ser aplicada por fisioterapeuta especialista em Fisioterapia Dermato-Funcional, devidamente capacitado.

LIGUE E AGENDE UMA AVALIAÇÃO GRATUITA.

 

Juliana Moreira de Barros
CREFITO3 119070-F
Fisioterapeuta Dermato-Funcional

(19) 99715.9029