logotipo

Ansiedade. Um estado perpétuo de alerta e temor

POR DANIELLE EMBOABA

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em StumbleuponCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

A grande maioria dentre nós é classificada como ansiosa

Vivemos sob constante pressão, em relação a tudo. Temos que pensar em diversas coisas ao mesmo tempo - mal fazemos uma boa refeição. A cada minuto pensamos em mais tarefas, e sofremos de modo antecipado por elas.

Na abordagem psicanalítica analisamos a ansiedade como uma sensação virtualmente presente em qualquer pessoa, um importante sinal de alerta, onde todos possuem ansiedade, em maior ou menor grau. Vira patológico quando traz prejuízos significativos na vida.

É normal quando um indivíduo vai apresentar uma palestra ficar ansioso por alguns minutos, porém, quando a ansiedade gera prejuízos, tais como insônia, taquicardia, calafrios, sudorese, falta de ar, tremores e etc., podemos precisar de uma intervenção psicoterapêutica - psicólogo e psiquiátrica.

A ansiedade está ligada com a expectativa que o indivíduo possui, com a ansiedade por algo. Existe a agorafobia: medo em locais onde há multidão; a fobia social: medo da humilhação por julgamento e avaliação de outrem; as fobias específicas: simples fobias por objetos ou situações; o transtorno do pânico; o transtorno de ansiedade generalizada; e, o transtorno obsessivo compulsivo: ideias obsessivas e comportamentos compulsivos.

Cada caso é tratado de uma forma diferente, pois está vinculado a uma origem distinta. Não existe uma receita pronta para a cura. Achamos bastante interessante refletir sobre o que causa a sua ansiedade, e de forma saudável, lidar com isso sem deixar que ela assuma o controle ou lhe faça mal.


danielleemboaba bio

Danielle A. Emboaba 
CRP 06/111898 - Psicóloga Clínica

Adultos, idosos, adolescentes e casais.
Atendimento particular e convênios Samaritano e Coopus.

(19) 3461.8177 |  99334.1670
Rua Niels Nielsen, 140 , Vila Medon | Americana