logotipo

O QUE ESPERAR DO TRATAMENTO PSICANALÍTICO

ANA PAULA BANOV

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Ser ouvido de forma acolhedora, afetiva, sem conotação de bem ou mal

Quando a gente decide procurar uma ajuda psicológica, sempre ficam as dúvidas: por onde começar, que profissional procurar, que linha psicoterapêutica se adequa mais ao que eu estou sentindo.
Fazer análise, inicialmente, significa que se está em um tratamento clínico com a psicanálise, sendo atendido por um psicanalista. A análise não se baseia em sugestão ao paciente, mas sim, num auxílio, num direcionamento para que ele mesmo entenda a origem dos seus sintomas e busque os melhores caminhos para sua autonomia, ou seja, diminua ou elimine os sintomas e assuma a responsabilidade pela própria vida.
Nossos sofrimentos, muitas vezes, estão ligados ao conflito entre os nossos impulsos e nossa moral. Por exemplo, podemos intimamente sentir raiva de uma situação ou de uma pessoa e nossa moral, religiosa ou não, nos dizer que esse sentimento nos faz uma pessoa maldosa - então, sentir raiva não é permitido. Assim, por essa proibição moral, recalcamos tais sentimentos ruins, só que escapam os sintomas, manifestando-se através de dores físicas, depressão, desânimo, apatia ou mesmo como hábitos físicos, gestos e todas as outras maneiras de comportamento. Mais uma vez, é o inconsciente procurando meios de ser ouvido.
É só na análise psicanalítica que cada um desses sentimentos serão ouvidos e nomeados, com a garantia de uma escuta imparcial, sem julgamentos, de forma acolhedora e afetiva. O analista não julga os atos e os pensamentos de seus pacientes, não há a conotação de bem e de mal. Apenas facilita o processo de identificação e reconhecimento desses sentimentos, ajudando esse paciente a não ter medo de si mesmo. O que se busca é saber o que está impedindo-o de ser como deseja ser. Não se trata da busca pela perfeição, mas de maturidade para assumir as responsabilidades que a vida impõe, de tomar as próprias decisões, harmonizar-se consigo e com o mundo a sua volta.
Para chegar a uma atitude imparcial, importante saber, o analista submeteu-se à sua análise pessoal também. Ele também enfrentou seus sentimentos recalcados, seus impulsos inconscientes, seus medos e, provavelmente ainda lida com eles. A análise do analista é indispensável para o exercício da profissão.
Se você decidir que a psicanálise responderá melhor ao que você procura, tenha certeza de que seu analista experimentou as emoções que você experimentará, assim, poderá de fato compreender o que está acontecendo com você.


anapaulabanov bio


ANA PAULA BANOV

Psicanalista Clínica


anapaulabanov logo

(19) 3461.1863
Rua Fortunato Basseto, 345 - Vila Medon | Americana

(19) 99113.3474
Rua Dr. Emílio Ribas, 776, Sala 41 - Cambuí | Campinas