logotipo

O QUE É A SÍNDROME DO IMPOSTOR?

ELAINE MOBILON KÜHL

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Sentir-se uma fraude no que faz e desmerecedor de títulos e crédito são alguns dos sintomas dessa síndrome

A expressão “Síndrome do Impostor” foi usada pela primeira vez na década de 70, pela psicóloga Pauline Clance. Não se trata de uma desordem psicológica, reconhecida oficialmente, mas tem sido assunto bastante discutido atualmente.

A pessoa que sofre dessa síndrome se considera inferior as outras pessoas e desmerecedora de elogios, créditos ou títulos que possam resultar de suas ações. Ela se sente insegura sobre seu potencial e assim evita qualquer tipo de exposição, subestimando suas habilidades e seus feitos.
Esse falso “impostor” acredita que os outros são mais fortes, capazes, inteligentes e sábios do que ele, negando totalmente a sua capacidade. Ele não acredita ser merecedor de sucesso, não aceita suas conquistas e atribui o feito à mera sorte ou outra coisa.
A pessoa, que sofre com essa síndrome, coloca um esforço excessivo em todas suas ações e, por isso, sente grande ansiedade, angústia, esgotamento físico e mental. Muitas vezes ela escolhe não participar de encontros sociais, fazer novas amizades ou assumir novos trabalhos pelo medo de ser julgada. Não raro, sofre em silêncio e prefere não falar sobre o assunto com ninguém, nem mesmo com os mais próximos.
Geralmente, a pessoa que se julga uma impostora, cresceu em um ambiente de muita cobrança, em uma família que lhe exigiu resultados e alta performance em tudo que se propunha a fazer, desde a tarefa escolar ou doméstica até a prática de um esporte ou hobby. As vítimas de bullying na escola ou no seio familiar também podem apresentar sinais da síndrome.
Perfeccionismo e preocupação exagerada aos detalhes são características fortes da pessoa com essa síndrome. É comum perder muito tempo e objetividade nas tarefas que se propõe a fazer. As crenças negativas sobre si a impedem de enxergar o próprio potencial e o quanto ela é capaz e inteligente.
Para afastar a síndrome do impostor é muito importante reconhecer seus pontos fortes e depois complementar esses talentos com aquisição de conhecimentos e habilidades. A psicoterapia é apontada como método eficaz para o autoconhecimento, contribuindo para identificação desses pontos fortes e para o desapego desse passado de cobranças.
Não evite o caminho para o sucesso e nunca desmereça o que já conquistou, pois nenhuma de suas realizações e conquistas caíram do céu. Elas são fruto de muito trabalho, dedicação e competência, e você também precisa saber disso.


ELAINEMOBILON

ELAINE MOBILON KÜHL
Psicóloga CRP 06-16760
Hipnoterapeuta
E.M.D.R.- Credenciada pelo E.M.D.R.
Institute, Inc. California- USA

(19) 3406.4800
Rua Peru, 636, sala 509, Win Office Tower
Frezarin | Americana