logotipo

Dependência química e o comportamento compulsivo

Claudia Cavalli Rosim

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

A dependência química está presente quando o organismo aprendeu a funcionar movido por determinada substância, ele precisa da substância, da droga escolhida, para funcionar.

Dependente dela para desempenhar suas funções vitais. É classificada como doença grave, incurável, progressiva e até fatal. Já os comportamentos compulsivos são hábitos aprendidos e repetidos por alguma gratificação emocional conseguida, pelo alívio momentâneo da angústia, da tristeza ou da ansiedade. Repete-se quase que involuntariamente e o indivíduo não percebe os danos gerados por tais comportamentos. É uma doença psicoemocional grave, não se pode afirmar que seja crônica, mas é progressiva e pode ser fatídica em muitos casos. 

Em ambas as patologias as pessoas ficam suscetíveis a desenvolver a depressão, a síndrome do pânico, o transtorno bipolar, delírios psicóticos e outras. Tanto a dependência química como o comportamento compulsivo fazem parte da realidade no nosso cotidiano, ameaçam a integridade física e moral, promovem o aumento da criminalidade, a perda de valores éticos, morais e religiosos. Desestruturam famílias inteiras, acabam com casamentos sólidos e com futuros promissores. Não fechemos os olhos e não nos calemos diante da doença. Busque socorro, procure ajuda, indique. Procure um psicólogo. Este lhe proporá a melhor intervenção para o seu caso.
   
"Ninguém é responsável por cair, mas é responsável por se levantar". Jessé




Claudia Cavalli Rosim

CRP 06/72594
Psicóloga Clínica Especialista em Dependência Química

(19) 3461.4105 | 3407.7301 | 99502.1347
Av. de Cillo, 236, Vila Pavan - Americana
Atendimento para adultos, casais e crianças