logotipo

Explorando a memória: a percepção e os aliados da atenção

MÉTODO SUPERA

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

É comum ouvir pessoas reclamando de memória fraca, mas, geralmente é a atenção que costuma falhar. Ao observar algo com atenção, todos os recursos intelectuais e psicológicos são envolvidos. Aquele momento funciona como uma ginástica cerebral - além de que essas imagens percebidas ficam inscritas no cérebro e podem ser recordadas quando necessário. 

Para desenvolver a atenção, é preciso empregar todas as faculdades da percepção. E ainda aplicar um filtro, porque nem tudo que foi percebido merece ser lembrado. Quando há interesses pessoais, ou, quando deve ser transmitida a outra pessoa, a percepção se faz intensa e inquisitiva, capaz de levar o percebido para a memória e assim reter essa informação. 

Os pequenos problemas de esquecimento não são, em sua maioria, problemas de memória, mas sim problemas de atenção. A percepção aplicada ficou no nível superficial. Impossível recordar. 

Precisamos dos nove aliados da atenção como explicou, aos 88 anos, o explorador francês Paul-Emile Victor. Para ele o segredo da sua extraordinária vitalidade se deu da seguinte forma: “Nunca vou dormir à noite sem primeiro planejar minha pequena fonte de entusiasmo para o dia seguinte”. Mantendo o seu interesse nas pequenas fontes cotidianas de felicidade, o explorador descobriu ingredientes-chave para um bom nível de atenção. Confira. 

Interesse: o que não desperta interesse, nem emoção, não prende nossa atenção; 

Personalidade: ansiedade e estresse geram pensamentos e preocupações - pura distração.
Satisfação: meu nível de atenção aumenta com as coisas que me estimulam;
Motivação: a perspectiva de atingir um objetivo, ter sucesso ou desenvolver o potencial deixa você mais atento, automaticamente;
Vigilância: um estado de alerta, calmo e distanciado, favorece a manutenção da atenção por um longo período;
Curiosidade: o interesse pelo ambiente e a vida em geral estimula a atenção;
Concentração: coloca sua atenção em assuntos selecionados, sem distração fácil;
Emoções: positivas ou negativas despertam automaticamente a atenção e a tornam mais intensa;
Fatores ambientais: maior nível de atenção com menores perturbações auditivas ou visuais.
Mesmo quando todos esses fatores estão presentes, a memorização não acontece necessariamente. É preciso fortalecer as conexões neuronais. A ginástica cerebral pode deixar seu cérebro suficientemente forte e saudável para lhe dar mais domínio sobre a atenção. Pratique essa ideia. Faça ginástica cerebral.




(19) 3629.3341
Rua Dona Margarida, 198, Centro – Santa Bárbara d’Oeste
www.metodosupera.com.br