logotipo

Timidez. Tem saída

ANA SILVIA PAULA

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Como superar a timidez, e ampliar os seus espaços, através de ferramentas da psicoterapia corporal.

Quando convidada para uma festa, já começa o sofrimento. Como será? Quem estará lá? Qual será meu desempenho? Como me comportar? Será que direi alguma coisa estúpida? Vou ficar vermelha, vou tremer, vou transpirar? Sintomas da timidez. Se mesmo assim você vai, melhor. Mas se fica, então, precisa resolver esse problema. 

A timidez é um quadro pouco estudado apesar do grande sofrimento causado às pessoas. Os tímidos se voltam para dentro de si mesmos, se escondem, muitas vezes com medo de como a sociedade pode olhar para eles. Para o tímido, a desaprovação social e a humilhação são constantes. A pessoa está muito mais preocupada em como ser para os outros, como agradá-los, do que voltada para si.

Há ainda o medo de falar em público, nos grupos. A sociedade valoriza a extroversão, a comunicação fluida e as pessoas que adoram festas e multidões. E os tímidos se sentem totalmente desencaixados. No trabalho, correm o risco de perder promoções, ou o emprego, para pessoas mais expansivas e comunicativas.

Como a timidez se estabelece no ser humano? Em algum momento de sua vida houve uma proibição ou retenção de sua espontaneidade. Na infância, crianças que vivem em ambientes de muita restrição e timidez, com os pais, entendem que esse comportamento é o mais correto, e natural. Ser tímida, então, é algo conhecido.
 
Movimentar-se ajuda na mudança do comportamento
Existem possibilidades e soluções para essas dificuldades. A análise bioenergética e a biossíntese, duas abordagens técnicas na área da psicologia que combinam movimento expressivo e entendimento da história da pessoa – mente e corpo - podem ajudar na dissolução do conflito da pessoa tímida.

A técnica inclui diversos exercícios de respiração, de expressão e o principal deles, o Grounding, que é o “enraizamento” da pessoa no mundo, que propicia estar seguro em suas relações afetivas e profissionais. Esse trabalho pode ajudar as pessoas a resolverem seus problemas emocionais e perceberem seu potencial para o prazer e para a alegria. Poder entrar em um bar, sozinha e pedir algo para tomar, ou, ir a um restaurante, sozinho, não tem preço.

Por mais que a pessoa tímida tente se esconder, ela está indiretamente chamando a atenção dada sua quietude, retraimento e ruborização. Nosso trabalho visa, com movimentos expressivos e respiratórios, ampliar o seu espaço interno, e a partir daí ampliar também os espaços externos, ampliar a sua vida. Aumentar a vitalidade e a capacidade de ser, sempre com toda alegria possível.


 

Ana Silvia Paula - CRP 23016/06 
Psicóloga; Diretora do Ligare Centro de Psicoterapia Corporal
Trainer em Análise Bioenergética pelo IIBA – USA
Especialista em Biossíntese pelo IBB – Suiça

(19) 3465.3515
Rua Jesse Camargo, 300
Praia dos Namorados - Americana
www.ligare.psc.br