logotipo

Criança maker é criança empreendedora

LITTLE MAKER

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

A cultura do Faça-Você-Mesmo transforma em hábito comportamentos fundamentais para o sucesso

A educação maker é assim: a criança pode criar, mexer, planejar, consertar, errar até chegar onde quer, fomentando a cultura do empoderamento e do empreendedorismo. A ideia é desenvolver a iniciativa dos pequenos, que podem planejar, conferir e executar, mas, permitindo-se o que o sistema educacional tradicional sempre reprimiu, o erro.

“Mostramos que a criança não deve desistir. Pelo contrário, deve insistir, fazer outra e outra vez até acertar. A cada tentativa, a perspectiva muda e surgem novas saídas”, afirma o engenheiro Diego Thuler, fundador da escola Little Maker, que usa a tecnologia robótica e arte para potencializar o aprendizado.

No início deste século, começou a organização do Movimento Maker, uma extensão mais tecnológica da cultura Faça-Você-Mesmo. Tem sua base na ideia de que pessoas comuns podem construir, consertar, modificar e fabricar os mais diversos tipos de objetos e projetos.

O movimento vai muito além do simples desejo de fazer. É uma cultura onde é importante explorar, testar, errar, persistir e ter sucesso - buscar soluções criativas, reusar e compartilhar as conquistas e conhecimentos. Existe prazer na conquista e na superação, e todo mundo é capaz.

Para Mitch Resnick, do Massachusetts Institute of Technology (MIT), “ser maker não é simplesmente fazer coisas e tecnologia, é fazer algo que tenha significado para você e para as pessoas ao seu redor". Pensando nisso, a escola traz uma abordagem inovadora onde os projetos são autorais, o envolvimento e o engajamento são fundamentais nesse aprender a empreender, o que proporciona o empoderamento da criança.

Inventar faz parte da natureza do homem. As crianças têm criatividade fervente nas brincadeiras e atividades escolares, mas os adultos deixam essa aptidão de lado para seguir as regras e o convencionado.

Depois de algumas aulas makers, sem perceber, as disciplinas convencionais ensinadas na escola tradicional passam a ter mais sentido. Para elaborar e executar um projeto, a criança aprende a fazer, entre outras coisas, contas, medidas, proporção, equilíbrio, balanço e movimento.

Estes valores, presentes em qualquer profissão, não são apenas conhecimentos técnicos, são perspectivas do nosso mundo, de um futuro. “Tenho vivenciado isso no meu dia a dia. É realmente impressionante quando você percebe que a criança sentiu o prazer da conquista, sente-se segura de que suas ideias têm valor e que pode ir além, que são capazes de empreender, questionar, modificar, interagir com o mundo a sua volta. Isso ela leva para o resto da vida”, explica Thuler.




 

Little Maker
Laboratório Maker para crianças a partir de 6 anos

(19) 3013.1032
 Rua Luiz Adami, 64, Vila Medon - Americana
 www.lt.mk