logotipo

Cefaleia tensional e a cura pela osteopatia

MATHEUS BORDIGNON

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em StumbleuponCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Sabe aquela tensão dolorosa nos ombros, aquela dor de cabeça? Tem jeito sim

A cefaleia, popularmente chamada de dor de cabeça, atualmente é uma das condições dolorosas com maior incidência na população. Atinge 90% das pessoas, pelo menos uma vez na vida. 
Muitos são os fatores que podem gerar dor de cabeça num indivíduo, como as condições alimentares, problemas hepáticos e gastrointestinais, hipertensão arterial, disfunções hormonais ou metabólicas, problemas de oclusão/DTM – tudo, muitas vezes, de difícil diagnóstico.

A Sociedade Brasileira de Cefaleia reconhece a cefaleia do tipo tensional como uma das mais comuns. Nela, o paciente apresenta sintomas de dor unilateral ou bilateral - um ou dois lados da cabeça - bem como certa pressão, parecida com um capacete apertado.
Esse tipo de dor de cabeça tem relação com a tensão ou contração exagerada, anormal e mantida nos grupos musculares dos ombros, pescoço, couro cabeludo, ATM e até da face. Esta tensão anormal gera os chamados pontos gatilhos – “trigger points”. Um ponto gatilho é um local altamente irritável que se apresenta rígido ao toque e que produz dor, confere limitação na amplitude de alongamento, rigidez de movimento, etc. Quando estimulado desencadeia dor local, e, dor referida à distância.
No pescoço, as vértebras podem estar mal posicionadas, o que piora o quadro. As raízes nervosas que se originam na cervical ficam irritadas fazendo com que os músculos relacionados se contraiam e assim permaneçam.
No tratamento pela osteopatia o diagnóstico é clínico e depende de anamnese cuidadosa, por onde se busca os fatores desencadeantes e mantenedores do quadro doloroso. É feito um exame físico detalhado, principalmente pela palpação, com busca pelas vértebras mal posicionadas e pelos pontos gatilho ativos nos músculos, no local da dor referida – sempre observada a exclusão por outras patologias.
A identificação correta das disfunções vertebrais, dos pontos gatilhos e das causas que as originam e perpetuam, e, a abordagem terapêutica buscando suprimir esses fatores gera a eficácia do tratamento osteopático.
Na prática clínica, a osteopatia se mostra muito eficaz na cura e ou controle desse tipo de cefaleia, e pode colaborar de forma significativa para a qualidade de vida do paciente.
 
 
matheusbordignon 
 
Dr. Matheus Bordignon
Crefito-3 125903 - F
Fisioterapeuta; Especialista em Osteopatia (Escola de Madrid), Especialista em Podoposturologia e Acupuntura; Membro da Associação Brasileira dos Fisioterapeutas Osteopatas.
 
 
clinicavital

 
(19) 3468-4790
993481554

Rua Belém, 390, Jd. N. Sra. De Fátima | Americana
Dr. Matheus Bordignon – Osteopatia
matheusbordignon.com