logotipo

Depressão, uma doença comum

Danielle A. Emboaba

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

A depressão é uma doença, como outra doença qualquer, que se caracteriza por uma tristeza profunda e duradoura além de outros sintomas.

Hoje, temos tratamentos para o alívio do sofrimento que ela acarreta. É uma doença bastante comum, a cada ano, uma em cada vinte pessoas apresentam os sintomas da depressão. As chances de alguém ter uma depressão ao longo da vida estão perto de 15%. Ela se manifesta mais frequentemente no adulto, embora possa ocorrer em qualquer faixa etária. É mais frequente nas mulheres que nos homens.
Os principais sintomas da depressão são a tristeza profunda e duradoura (em geral por mais de duas semanas), a perda do interesse ou do prazer em atividades que antes eram apreciadas, a sensação de vazio, a falta de energia, apatia, desânimo, falta de vontade para realizar tarefas, a perda da esperança, os pensamentos negativos, pessimistas, a culpa ou a auto-desvalorização. Além desses sintomas, a pessoa pode ter dificuldade para concentrar-se, não dormir bem, ter perda do apetite, ansiedade e queixas físicas vagas (desconforto gástrico, dor de cabeça, entre outras). Em casos mais graves podem ocorrer ideias de morte, de suicídio, incorrendo até na tentativa deste. É frequentemente uma doença recorrente, a pessoa tem episódios de depressão que se repetem de tempos em tempos. 

A causa não é conhecida, sabe-se que fatores biológicos e psicológicos podem contribuir para o seu aparecimento, em alguns casos a hereditariedade tem um peso importante. Com muita frequência a depressão começa após uma situação de estresse ou de conflito, e depois persiste o tempo mesmo após superada aquela dificuldade. As pesquisas mostram que na depressão há um desequilíbrio químico no cérebro, com alterações das substâncias que fazem a comunicação entre as células nervosas, principalmente da noradrenalina e da serotonina. A descoberta destas alterações permitiu o desenvolvimento de medicamentos específicos para o tratamento da depressão: os medicamentos antidepressivos. 

O tratamento da depressão se faz, atualmente, com a combinação dos medicamentos antidepressivos e com os métodos da psicoterapia. Esses medicamentos permitem uma recuperação gradual (em geral em algumas semanas) além de proteger a pessoa de novas crises depressivas. Muitas pessoas precisam tomá-los por longos períodos de tempo. Como os medicamentos demoram algum tempo para agir, é importante não desanimar. Nesse período o apoio e a compreensão dos familiares são fundamentais. Além disso, o tratamento com a psicoterapia é primordial e indispensável para a segura evolução do tratamento. 

Danielle A. Emboaba CRP 06/111898
Psicóloga clínica
Atendimento adultos, idosos, adolescentes e crianças. Terapia para casais.
Descontos especiais para convênios: Irmam, São Lucas, Unimed e Funerárias.

(19) 3461.8177 | 9334.1670
Rua Niels Nielsen, 140 , Vila Medon - Americana
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.