logotipo

Pressão alta? Hipertensão? Tire suas dúvidas

Dr. Gabriel Vasconcelos

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

A hipertensão arterial afeta cerca de 30% dos brasileiros e está associada a diversas complicações graves, como infarto do miocárdio, derrame cerebral e insuficiência renal.

Condições que seriam evitadas se a pressão alta fosse diagnosticada e tratada precocemente.

O que é pressão alta?

É o aumento da pressão que o sangue exerce no interior das artérias. Pode estar aumentada tanto na pressão máxima (sistólica), quanto na pressão mínima (diastólica).

Quem está mais arriscado a sofrer de hipertensão?

Pessoas de etnia não branca e os que têm parentes hipertensos, obesos e sedentários. A ingestão excessiva de álcool e sal são hábitos associados ao aumento da pressão arterial assim como o fator idade que contribui na incidência de hipertensão.

Qual é o valor normal de pressão?

Considera-se normal até 120 x 80. Para se considerar uma pessoa hipertensa, deve-se obter através de mais de uma medida, em consultório, pressão arterial maior que 140 x 90.

Quais são os sintomas da pressão alta?

Na grande maioria dos casos, nenhum. É justamente o caráter silencioso da doença que a torna especialmente perigosa. Uma vez que não sente acaba por não buscar diagnóstico, e muitos ainda que se façam o diagnóstico, por não sentir nada não se convencem da necessidade de manter o tratamento. Normalmente surgem sintomas quando a pressão está muito elevada ou quando alguns órgãos foram afetados de forma irreversível. Nessas situações pode ocorrer dor de cabeça, tontura e alterações visuais.

Como descobrir se tenho pressão alta?

A única forma é medir de forma correta a pressão arterial e preferencialmente durante consulta médica.

Existe cura para a hipertensão?

Normalmente não há cura, apenas tratamentos para manter a pressão dentro dos níveis mais seguros. Daí a necessidade de se prevenir a doença, cultivando hábitos saudáveis através da pratica de exercícios, consumo de pouco sal e de pouco álcool, controle do estresse, da manutenção do peso mais adequado e das consultas regulares com o médico.

Remédios para pressão causam impotência?

Os medicamentos mais modernos causam poucos efeitos colaterais e não estão normalmente associados a problemas de ereção, no entanto, existem medicamentos que devem ser evitados por homens justamente por colaborar com a disfunção erétil.


 

Dr. Gabriel Vasconcelos CRM 101071
Graduado em medicina na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP
Residência em cardiologia no HC de Ribeirão Preto - USP
Titulo de Especialista em Cardiologia concedido pela Sociedade
Brasileira de Cardiologia