logotipo

Obesidade - Balão Intragástrico

Adriano Gelmini

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Mais que preocupação estética, a obesidade, caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura no corpo, pede atenção pela predisposição aos problemas cardíacos, diabetes e expectativa de vida diminuída.

O balão intragástrico (BI) traduz uma técnica de combate à obesidade que consiste na introdução de um balão de silicone inflável dentro do estômago por via endoscópica. Logo após a introdução, o balão é inflado com aproximadamente 500 a 700 ml de soro fisiológico – solução essa que alterará a cor da urina para um tom azulado, no caso de rompimento. Trata-se de um procedimento simples, realizado em ambiente hospitalar que requer sedação leve. Não é necessária internação. O tempo de permanência máximo do BI é de seis meses (tempo de garantia do fabricante). A retirada do balão também é realizada através de endoscopia, em ambiente hospitalar e com o mesmo tipo de sedação. Em média o procedimento dura vinte minutos.
O BI estimula receptores do fundo gástrico que sinalizam para o sistema nervoso central (cérebro) provocando uma saciedade precoce, além da diminuição da capacidade do reservatório gástrico. Estes dois mecanismos de ação levam a redução do volume de alimentos ingeridos e a conseqüente diminuição do aporte calórico ocasionando a perda de peso e redução da obesidade.
Pacientes obesos com IMC abaixo de 35 que não respondem a tratamento clínico por três anos ou mais, pacientes obesos com IMC acima de 35 que não apresentam condições de serem submetidos à cirurgia de obesidade por contraindicação médica, são os mais indicados à utilização do BI.

Dr. Adriano Gelmini
CRM 100219
Clínica e Cirurgia do Aparelho Digestivo
Endoscopia Digestiva Alta e Baixa
Videolaparoscopia e Cirurgia Bariátrica.