logotipo

MEDICINA FETAL

CANDICE FABRI FANTI

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

O CUIDADO ESPECIAL NOS MOMENTOS MAIS ESPECIAIS DA SUA GESTAÇÃO


A Medicina fetal é uma área de atuação dentro da obstetrícia que abrange a avaliação morfológica detalhada do feto, determina suas alterações e através do conjunto de alterações investiga o provável diagnóstico, que pode estar em alteração cromossômica, mutação genética, em alterações isoladas ou ambos. Também faz acompanhamento de fetos morfologicamente normais, com outros tipos de diagnósticos, como restrição de crescimento fetal, hipertensão materna, diabetes melitus, alteração tireoidiana, por exemplo. O profissional responsável por essa área, intitula-se fetólogo, com habilitação e treinamento minucioso em ultrassonografia e patologias fetais. Para chegar ao título de especialista na área de medicina fetal, o profissional é submetido a um treinamento teórico-prático de dois a três anos e posteriormente à realização da prova de aptidão nessa área que é vinculada à Associação Médica Brasileira e Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia. 

Além da avaliação do feto em todas as fases da gestação, o especialista também utiliza programas específicos com os dados do exame para calcular riscos de pré-eclâmpsia, riscos de síndromes cromossômicas, fetos pequenos e riscos de diabetes gestacional. Também analisa a vitalidade fetal com objetivo de determinar o momento correto do nascimento quando presente um quadro de sofrimento fetal. Além disso, também realiza a avaliação cardíaca minuciosa, a fim de preparar o casal para um tratamento futuro, se encontrar alguma alteração.
Quando a alteração fetal for muito grave, indicam-se exames genéticos para determinar o problema base do feto, para diagnóstico correto e aconselhamento dos pais. São realizados a partir do vilo corial, líquido amniótico e coleta do sangue do cordão. Com uma única coleta pode-se realizar desde o mais simples até o mais complexo exame genético, utilizando o mesmo material, são esses resultados que determinarão o caminho do aconselhamento genético. Entretanto, algumas alterações podem ser corrigidas ainda dentro do útero, com chance de sobrevida pós nascimento, como hérnia diafragmática congênita, mielomeningocele, síndrome de transfusão feto fetal (no caso de gêmeos da mesma placenta), em alguns problemas cardíacos, e outros casos específicos.
Quando você gestante, procurar um serviço para realizar o exame do seu bebê, procure indicações e informações sobre o profissional. Algumas patologias podem ser suspeitadas desde o primeiro trimestre e isso faz muita diferença na gestação. Todo exame precisa ser realizado com prudência e com a técnica correta. Uma pequena falha pode impedir a análise inicial e somente se diagnosticar em uma fase tardia para tratamento.

 

dracandice


DRA. CANDICE FABRI FANTI
 CRM 101658/SP
Médica, Ginecologista e Obstetra,
Título de Especialista em Ultrassonografia
Ginecológica e Obstétrica e Título de Especialista em Medicina Fetal, ambos pela
Federação Brasileira de Ginecologia e Obstetrícia e Associação Médica Brasileira.

dracandice fev2020