logotipo

Orelhas em abano - otoplastia

Denis Vincenzi

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

A cirurgia de otoplastia representa uma solução técnica médica para  retirar de uma vez por todas àquela sensação perturbadora em relação às orelhas. Principalmente nas crianças

A orelha em abano é uma deformidade congênita sem explicação plausível, que atinge homens e mulheres, e que invariavelmente tem por certo a presença de um fator hereditário. Estima-se que cinco por cento dos nascidos tenham a deformidade. Quando ainda na fase bebê não é problema, mas, a presença da orelha em abano é sempre estigmatizante durante a infância e, via de regra, leva ao bulling.
A correção cirúrgica – otoplastia - é mais apropriada de ser realizada entre os seis e sete anos, uma idade na qual a orelha já se apresenta com o tamanho que terá na fase adulta e quando a criança está iniciando o seu longo ciclo escolar.
Normalmente a cirurgia pode ser feita com tecnologia ambulatorial, nas clínicas especializadas, com anestesia local. Contudo as crianças nesta idade dificilmente irão aceitar passivamente o procedimento, mesmo querendo se ver livre do incômodo, fato que nos leva a indicar a internação hospitalar e o uso de anestesia inalatória ou geral.
Obviamente, não há impedimento algum para que a cirurgia seja feita no adulto, em qualquer idade. Nos adultos e crianças em regra a cirurgia apresenta excelentes resultados, gera uma satisfação pessoal imensa e proporcionando uma ótima melhora na autoimagem.
Como em toda cirurgia invasiva existem os riscos clássicos. Na oto-plastia, historicamente os riscos são mitigados pelas técnicas cirúrgicas mais apropriadas ao caso, com pos-sibilidade de uma resolução razoável e adequada durante o ato médico.
Após a cirurgia é inevitável o aparecimento da dor no local, que, será mediada com analgésicos comuns. O fato que mais acarreta ansiedade nos pacientes é a preocupação em não poder dormir em decúbito lateral por trinta dias, assim como evitar esportes coletivos por sessenta dias. Mas, a satisfação de ver o resultado coloca estes detalhes, junto com a ansiedade, bem de lado.
Um fato anatômico que chama a atenção da academia da cirurgia plástica é o que diz respeito à simetria das orelhas – coisa, aliás, impossível de ser conseguido. Por quê? Porque o ser humano não tem simetria entre os lados direito e esquerdo da face, como se fossemos metade pai e metade mãe. Podemos sim imprimir uma aproximação milimétrica na simetria das orelhas, sem deixar de lado a harmonização com os respectivos lados da face. Quanto aos resultados, fique tranquilo. Citamos um velho aforisma da medicina plástica: "O cirurgião plástico é o psiquiatra de bisturi na mão". Ao final, você e ou seu filho, irá se sentir muito bem.

 

Dr. Denis Vincenzi - CRM 53523
Cirurgião Plástico RQE 12615/91




(19) 3462.3069 | 3461.9097

Rua Costa Rica, 77 – Girassol, Americana
www.cliniplast.com.br