logotipo

O que todos devem saber sobre os descongestionantes nasais

DANIELA YASBEK MONTEIRO

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Atualmente o clima seco tem sido a rotina dos moradores da nossa região, provocando diversos inconvenientes, inclusive problemas de saúde.

A umidade baixa do ar prejudica diversos órgãos e funções do nosso organismo. A sensação de obstrução nasal, “nariz entupido”, causa desconforto e leva muitas pessoas ao uso abusivo de descongestionantes nasais (vasoconstritores) para o alívio imediato dos sintomas. Apesar do alívio imediato esses medicamentos não são tão benéficos quanto parecem.
O fácil acesso à droga em farmácias, a venda sem receita médica e o uso indiscriminado podem acarretar o aparecimento de complicações. Muitos destes descongestionantes nasais apresentam outras substâncias na sua fórmula, como glicocorticóides, aumentando o leque dos efeitos adversos. Problemas cardiovasculares, como o aumento da pressão arterial e as arritmias cardíacas, problemas neurológicos, problemas hormonais, dor de cabeça, perfuração do septo nasal, sangramento nasal, diminuição do olfato, rinite medicamentosa, irritação nasal, espirros e até dependência são algumas das consequências que seus usuários devem conhecer e evitar.
O tratamento da dependência de descongestionantes nasais, e de suas demais conseqüências, inicia-se com a interrupção do seu uso. Muitas vezes é necessário introduzir outro medicamento. Isso deve ser feito sob orientação de um otorrinolaringologista que adéqua as medicações da forma mais correta.
Algumas das doenças associadas ao uso abusivo dos descongestionantes nasais são a rinite alérgica e a não alérgica, a sinusite aguda, sinusite crônica, polipose nasal, gripe, o resfriado, desvio do septo nasal e o aumento da adenóide. O uso dos descongestionantes nasais pode ainda mascarar essas doenças dificultando o diagnóstico e prorrogando o inicio do tratamento adequado. A substituição por medicamentos apropriados, individualizados para cada paciente, é a forma segura de tratar a obstrução nasal. Muitas vezes a simples lavagem do nariz com soro fisiológico ou o uso do umidificador pode resolver e evitar muitos problemas.
Os descongestionantes nasais são um dos remédios mais procurados dentro da automedicação no Brasil. Isso é mais evidente nas regiões de clima seco, como a nossa. Enquanto as chuvas não caem e a umidade do ar não aumenta para facilitar a nossa respiração nasal, ajude a si mesmo e evite o uso prolongado dos descongestionantes nasais. Procure um otorrinolaringologista para mais orientações.


 

Dra. Daniela Yasbek Monteiro - CRM 146.970
Otorrinolaringologista e Cirurgiã Cérvico-Facial

Graduação e Residência Médica de Otorrinolaringologia e Cirurgia de Cabeça e Pescoço pela FAMERP - Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto
Título de Especialista em Otorrinolaringologia pela ABORL

(19) 3406.7684 | 3462.5571
R. Itotoró, 174, Santa Catarina – Americana