logotipo

Lipoaspiração

DENIS VINCENZI

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em StumbleuponCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Foi na década de 70, no século passado que o médico francês, Dr. Yve-Gerard ILLouz, estabeleceu os conceitos e princípios desta modalidade de cirurgia. Ele é considerado o "pai" da lipoaspiração. 

É um procedimento onde o resultado tende a ser definitivo, já que as células de gordura que são retiradas – adipócitos - não se reproduzem mais após a puberdade. 
A lipoaspiração mudou a maneira de encarar e tratar várias das deformidades do corpo humano. Permite modelar o contorno corporal, não só através da retirada de material dos bolsões de gordura, mas também pelo enxerto deste em áreas que podem ser aumentadas, como por exemplo, os glúteos. 
Sabemos hoje que o adipócito, também representa uma célula tronco, o que, a grosso modo, dá o pretexto técnico científico para os enxertos – com larga previsão de excelentes resultados. 
Contudo é um método para delinear contornos no corpo, e não para tratamento da obesidade crônica. Alguns autores especialistas definem como o ideal a retirada máxima de quatro litros de gordura, ou, até cinco por cento do peso corporal objeto da lipoaspiração. 
No bom planejamento cirúrgico deve-se levar em conta alguns outros procedimentos associados, assim como o tempo de intervenção e os problemas físicos. Sabe-se que a perda de sangue na lipoaspiração varia entre 10% e 50% do volume de gordura aspirada, variando um pouco de acordo com a técnica utilizada. Deve-se também, no pré-operatório, definir as delimitações e marcações, das áreas a serem tratadas, com o paciente na posição ereta. 
Quanto à anestesia, será dimensionada dependendo do local e da extensão que o procedimento cobrir. Já as incisões são feitas em pregas naturais mais apropriadas, e, por ai se introduz o instrumento da cânula com ponta romba, que através de tubos são ligadas a uma bomba de vácuo medicinal. Terminada a cirurgia, veste-se o (a) paciente com modeladores elásticos de tecido sintético, e os mesmos deverão ser usados por mais sessenta dias. 
De modo geral o pós-operatório é bastante simples, embora possam ocorrer inchaços e manchas roxas, associados ou não a uma dor difusa na região. Como em qualquer outra cirurgia podem existir complicações físicas ou estéticas. De todas as possíveis complicações, a mais temida é a embolia gordurosa, que embora rara, é um tanto comum em pacientes com idade abaixo dos trinta anos. Com risco relativamente baixo, a lipoaspiração apresenta resultados excelentes para problemas que realmente perturbam as pessoas. No mais, cresceram significativamente as possibilidades de acesso ao procedimento - tanto pelo custo quanto pela melhora da capacidade econômica das pessoas em geral.


 

Dr. Denis Vincenzi - CRM 53523
Cirurgião Plástico RQE 12615/91

(19) 3462.3069 | 3461.9097
Rua Costa Rica, 77 – Girassol, Americana
www.cliniplast.com.br