logotipo

Dor de cabeça tem tratamento?

KELLI CATHARINO

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em StumbleuponCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

A cefaleia (dor de cabeça) é um dos principais motivos de procura por auxílio médico em consultórios e pronto socorros. Felizmente, na maioria dos casos, a origem da dor é benigna.

Contudo, o diagnóstico não é nada fácil. Existem mais de 150 tipos diferentes de “dor de cabeça”.  E o tratamento é muito diferente dependendo da causa. 
Nas últimas duas décadas este tema foi muito estudado. Já sabemos muito sobre as causas das cefaleias, sobre como fazer um bom diagnóstico e, principalmente, sobre como tratar as crises e a dor crônica. Há 20 anos os tratamentos eram raros e pouco eficazes. Atualmente o tratamento é bastante simples e eficaz para a maioria dos casos. Mas grande parte da população ainda sofre com dores crônicas de cabeça, seja por não ter orientação médica adequada, seja por dificuldade ao acesso à profissionais qualificados, e até por acreditar que não há solução para este problema.  Muitas pessoas se acostumam com sua dor crônica, e por sofrerem com isso ao longo de anos, acreditam que sua dor ‘é normal’. Não procuram auxílio médico, sem perceberem o quanto isso compromete sua qualidade de vida.  Estas pessoas geralmente abusam do consumo de analgésicos, mesmo que isso não resolva o problema, colocando assim sua saúde em risco. 

No Brasil assim como no mundo todo, neurologistas se reúnem todos os anos para discutir exclusivamente o tema cefaleia.  Vários sites, livros e revistas destacam o tema. A cada dia surgem novas pesquisas, e com as pesquisas surgem novas possibilidades de tratamento.


 

Dra. Kelli Catharino - CRM 144036
Neurologista

(19) 3454.0173
Av. Tiradentes, 855 - Vila MacKnight  - Santa Bárbara d’Oeste
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.