logotipo

Suas pernas e as possibilidades de correções

LUCIANA MARCOLINO FORTI

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Tanto para os vasinhos quanto para casos mais complicados, a escleroterapia se apresenta como técnica bastante eficaz

A escleroterapia, também chamada de "aplicação" é um procedimento médico realizado para o tratamento de varizes nos mais diversos tamanhos. Na maior parte dos casos tem o objetivo estético, porém também é utilizada como tratamento da doença. 

É um tratamento sem necessidade de cirurgia, e, portanto, feito em consultório. Os "vasinhos" são tratados com a aplicação de medicamentos esclerosantes nas veias alteradas, obstruindo o fluxo sanguíneo. Essas veias, doentes não são necessárias para a circulação, o sangue busca veias mais saudáveis para percorrer. Ao obstruir os vasinhos vermelhos, o aspecto estético das pernas melhora. Geralmente a dor é pequena ou ausente, com boa tolerância dos pacientes e minimizada com uso da termo anestesia, ou seja, diminuição da temperatura da pele. 

A escleroterapia química, conhecida como "aplicação" utiliza um líquido concentrado, o esclerosante que é injetado por microagulhas dentro dos vasinhos. O líquido mais utilizado é a glicose, por sua segurança e eficácia. A glicose é aplicada congelada, próximo de 30 graus negativos. Nessa temperatura sua viscosidade aumenta, a dor diminui e a eficácia aumenta, essa técnica é chamada de crioescleroterapia.
Na escleroterapia com espuma injeta-se, o polidocanol, em forma de espuma. A espuma apresenta densidade menor, mantém contato com a parede do vaso por mais tempo, empurrando o sangue, sendo mais eficaz em vasos maiores. A escleroterapia com laser elimina os vasinhos pela ação física da luz e calor nas teleangiectasias.

Cada técnica tem sua indicação e o cirurgião vascular é o especialista recomendado para escolher o melhor tratamento. As vantagens e desvantagens de cada técnica devem sempre ser consideradas, sabendo que não existe técnica perfeita, e sim, a melhor técnica para cada diferente vaso. Após as sessões de escleroterapia pode-se ter vida normal, podendo voltar ao trabalho na mesma hora. É muito importante que o paciente siga as orientações de pós escleroterapia do especialista, que podem variar de acordo com a técnica utilizada e calibre de veia tratada. O cirurgião vascular irá lhe dizer quando você pode retornar as atividades físicas, período sem tomar sol, uso de meias elásticas, cremes ou remédios necessários. A recidiva pode ocorrer, pois tratamos a consequência, e não a causa da doença. Quando completa e corretamente tratada é normal a recidiva parcial entre 2 a 5 anos, variando por  paciente e doença.

O número de sessões necessárias para eliminação completa dos vasinhos varia muito entre os pacientes. Impossível precisar, dependendo da quantidade de vasos, expectativa de melhora, resposta ao tratamento, assiduidade e adesão às orientações pós escleroterapia. Os intervalos entre as sessões devem ser em geral de 15 dias.

Alguns cuidados gerais devem ser tomados para otimizar o tratamento: não se expor ao sol até o desaparecimento completo dos sinais (15 a 45 dias dependendo das variações individuais), depilação, massagem, atividade física, são permitidas de acordo com a orientação médica e individual, faixas e meias elásticas podem ser necessárias, e devem ser aplicadas pelo médico, ao término da sessão, e utilizadas de acordo com a sua orientação respeitando as necessidades de cada indivíduo.


Dra. Luciana Marcolino Forti  - CRM 89117
Angiologia e Cirurgia Vascular
Sociedade Brasileira de Angiologia e
Cirurgia Vascular

(19) 3407.3588  |  3405.3461
Rua Antonio Galvão Cezarino Leite, 102
Santa Catarina - Americana
www.cvoamericana.com.br