logotipo

Dezembro laranja. Cuidados com a pele

Daniela Ferro Faris

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em StumbleuponCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

A campanha “Dezembro Laranja” tem como objetivo alertar para os perigos de se expor ao sol sem controle.

A exposição ao sol de forma inadequada pode trazer inúmeros prejuízos à saúde, além de ser responsável pelo câncer de maior incidência no Brasil, o câncer da pele.

O Dezembro Laranja foi criado em 2014 pela SBD – Sociedade Brasileira de Dermatologia, para estimular a população na prevenção e no diagnóstico precoce do câncer da pele.

O câncer de pele é o tipo mais comum e representa mais da metade dos diagnósticos de câncer. São estimados 181.430 novos casos no Brasil em 2016, segundo o Instituto Nacional do Câncer (INCA).

Há dois tipos básicos de câncer de pele, os não-melanoma que de modo geral são claros e sem pigmento e o melanoma, o câncer de pele pigmentado com maior mortalidade.

Os não-melanoma representam 95% do total dos casos de câncer de pele e os dois tipos mais comuns são o basocelular (carcinoma de células basais) e o espinocelular (carcinoma de células escamosas).

carcinoma basocelular representam 75% dos casos de câncer de pele. É mais comum em pessoas de meia-idade e idosos e geralmente aparece em áreas muito expostas ao sol, como o rosto e o pescoço. Como o hábito de tomar sol e ir à praia por longos períodos se popularizou nas últimas décadas, esse tipo de câncer tem aparecido em pessoas cada vez mais jovens. O carcinoma basocelular se desenvolve lentamente e dificilmente se espalha para outras áreas do corpo, mas exige tratamento mesmo assim. E, entre 35% e 50% das pessoas que tiveram esse câncer de pele vão ter outro num prazo de 5 anos após o diagnóstico. Isso significa que quem já teve câncer de pele tem de fazer um acompanhamento permanente.

carcinoma espinocelular responde por 20% do total de casos. Geralmente aparece no rosto, orelha, lábios, pescoço e no dorso da mão. Pode também surgir de cicatrizes antigas ou feridas crônicas da pele em qualquer parte do corpo e até nos órgãos genitais. Carcinomas espinocelulares têm risco maior que o basocelular de invadir o tecido gorduroso, atingir os linfonodos (gânglios linfáticos) e outros órgãos.

Há vários outros tipos de câncer não-melanoma, mas são bem mais raros e representam apenas 1% do total.

melanoma representa 5% dos cânceres de pele, porém sua mortalidade é muito maior comparado aos cânceres de pele não melanoma. Aparece preferencialmente em pessoas de pele clara, no tronco nos homens, ou, em membros inferiores nas mulheres, embora possam surgir em outras partes do corpo também. Apesar de mais comuns em pessoas de pele clara, negros e seus descendentes não estão livres da doença.

Descoberto em seus estágios iniciais, o melanoma é quase sempre curável. Porém, se diagnosticado tardiamente, tende a se espalhar para outras partes do corpo em um processo chamado metástase. Ele é menos comum que os carcinomas basocelular e espinocelular, mas é uma doença bem mais grave.

O Dezembro Laranja é uma iniciativa para conscientizar a população sobre os cânceres de pele. As pessoas devem entender que na maioria dos casos, as lesões podem ser evitadas com medidas simples de proteção solar:

  • Usar protetor solar todos os dias, em todas as áreas expostas do corpo;
  • Evitar exposição ao sol no horário de pico (10h-16h);
  • Usar boné e chapéu de aba larga para proteger o rosto;
  • Usar camisetas de proteção solar quando estiver na piscina e na praia.
  • Observar o aparecimento de feridas que não cicatrizam, manchas escuras ou nódulos na pele, ou alterações em pintas (aumento, modificação da cor, coceira ou sangramento).
  • Procurar um médico dermatologista para avaliação da sua pele e das suas pintas.

A radiação solar é cumulativa ao longo da vida e os primeiros 20 anos são responsáveis por 80% da radiação que o indivíduo recebe na vida. Percebe-se, então, a responsabilidade dos pais na prevenção do câncer da pele de seus filhos.

No entanto, dados do Instituto Nacional do Câncer (INCA) mostram que os brasileiros não se protegem adequadamente, contribuindo para a grande incidência da doença.

Faça a sua parte. A prevenção e a proteção são, na verdade, um conjunto de atitudes. Proteja sua pele, proteja sua saúde!


Dra. Daniela Ferro Farias - CRM 130814
Graduação pela PUCCAMP, Residência em Dermatologia pelo Hospital Ipiranga, São Paulo - SP
Membro da Sociedade Internacional de Dermatoscopia (ISD) e do Grupo Brasileiro de Melanoma (GBM)
Aperfeiçoamento em Dermatoscopia e Oncologia Cutânea pelo Hospital A.C. Camargo, São Paulo-SP.