logotipo

Ortopedista alerta sobre riscos de lesões no CrossFit

MARCIO COHEN

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em StumbleuponCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Pesquisa mostra que 73% dos praticantes já sofreram algum tipo de traumatismo e 7% dessa turma precisou de intervenção cirúrgica

Com praticantes famosos, como a atriz Giovanna Antonelli, e a multiplicação dos boxes especializados, o Crossfit chegou para ficar. Usada para treinar soldados das tropas de elite dos Estados Unidos, a modalidade foi alvo de um estudo divulgado pelo Journal of Strength and Conditioning Research, que apontou o alto índice de lesões: 73% dos praticantes já sofreram algum tipo de traumatismo e 7% dessa turma precisou de intervenção cirúrgica, sendo que as lesões no ombro e na coluna são mais comuns devido à carga excessiva, associada à postura errada. Para minimizar os riscos, moderação é a palavra de ordem entre os especialistas.
 
De acordo com o ortopedista do Instituto Nacional do Traumatologia e Ortopedia - INTO, Márcio Cohen, é imprescindível que haja uma avaliação antes de qualquer atividade esportiva para que o profissional possa enquadrá-lo adequadamente dentro da modalidade. “O CrossFit é uma ótima opção para quem acha musculação monótona, porém torna-se uma atividade com grande potencial lesivo, já que exige muito do participante”, afirma o especialista.
 
As consequências do excesso de atividade física passam por lesões principalmente nos joelhos, coluna e ombros. Isso se dá por conta dos exercícios que exigem que o aluno se movimente rapidamente e com grande quantidade de peso. “Esses movimentos são de impacto e causam estresse nas articulações. Se feitos de maneira incorreta, podem gerar lesões articulares, musculares e, no limite, rompimento de tendões”, diz o especialista que é membro do Comitê de Cirurgia de Ombro e Cotovelo da Sociedade Brasileira de Ortopedia e Traumatologia-RJ e da Academia Americana de Cirurgia Ortopédica (AAOS).
 
Sendo um dos fundamentos mais realizados no CrossFit, o agachamento faz com que o aluno precise descer até quase o chão e voltar, causando sobrecarga na articulação do joelho. Já na coluna, essa sobrecarga, que no momento do exercício pode se apresentar como inofensiva, associada a uma postura errada, resultará em lesão. “O excesso de esforço na região pode acarretar dores na coluna, em hérnias de disco e até em cirurgia”, explica Márcio Cohen. 
 
Apesar de todos esses riscos, a prática do CrossFit não é desaconselhada pelo especialista. Segundo Márcio Cohen, é preciso, além de uma avaliação adequada feita por um profissional, moderar a intensidade, o peso e o número de repetições. “Ter a real noção da capacidade do corpo e tentar não ultrapassar os limites, principalmente no começo, é fundamental. Caso sinta algum tipo de dor, procure um médico para saber qual tipo de lesão é daí iniciar um tratamento”, finaliza.
 

 
Dr. Márcio Cohen
CRM 72148-4 
Ortopedista com especialização em Cirurgia de ombro e cotovelo; membro do Grupo de Cirurgia de Ombro e Cotovelo do Instituto Nacional de Traumatologia e Ortopedia (INTO-RJ),  da Diretoria da Sociedade Brasileira de Cirurgia de Ombro e Cotovelo (SBCOC) e da Academia Americana de Cirurgia Ortopédica (AAOS).