logotipo

Alimentação equilibrada e o sucesso na atividade física

CAMILA CODOGNO GALEGO

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Para obter o máximo que sua atividade física pode oferecer você precisa manter um ritmo nutricional

Atualmente é muito comum encontrarmos pessoas, de ambos o sexos e idades, relatando que praticam atividades físicas nas academias, de todo tipo em diversas modalidades a longo tempo e que não alcançam àqueles resultados desejados. E aí, acabam por lançar mão das mais variadas estratégias, numa mudança frenética que muitas vezes não são tão saudáveis e ou seguras, na ansiedade de conseguir os tais resultados. Nossos objetivos são os mais diversos e variam entre a busca pelo emagrecimento e a correção de hipertrofia pela definição muscular, o condicionamento e uma maior flexibilidade física, a diminuição do percentual de gordura e mais rendimento, o fortalecimento muscular e o reforço da musculatura para colaborar com a coluna vertebral, mais saúde e bem-estar além de muita estética. Os objetivos sempre persistem, mas, a alimentação que é o complemento irmão das atividades físicas nem sempre está presente.

A alimentação deve ser colocada em pauta, conectada com os objetivos da atividade física. Sem a alimentação apropriada, na quantidade e qualidade necessárias muito provavelmente não haverá resultados. Por amostragem, percebemos que são poucas as pessoas que de fato se preocupam com a qualidade da alimentação com foco nos resultados que se deseja. E só vale à pena o esforço físico quando realmente se pratica uma alimentação nutricional.

Os suplementos alimentares, os termogênicos ou os queimadores de gordura, que são muitos importantes de acordo com o exercício que se pratica, não são um fim em si mesmo em termos de alimentação focada em resultado. Os principais fatores, além dos fatores biológicos e fisiológicos, que definem uma alimentação mais adequada focada no resultado são:
a) a duração e o período do dia em que a atividade é realizada;
b) se a pessoa pratica atividade física- desportista;
c) se é um atleta de alta performance.

Informações importantíssimas para uma boa performance metabólica da nutrição planejada. Em todos os casos faz-se necessário realizar uma alimentação eficaz durante toda a atividade física. Fundamental também é o equilíbrio da alimentação antes, durante e após os treinos. Ou seja, é necessário, e possível, uma alimentação equilibrada durante as vinte e quatro horas do seu dia. Nada de “dia do lixo”, com sua comilança desenfreada! Quem realmente tem como objetivo desejado alcançar seus resultados, tem que manter a reeducação alimentar full time.



Quando o foco é reduzir a própria massa gorda, muitas pessoas pensam que estão livres de se preocupar com a alimentação. Apenas acreditam que ficar sem a ingestão de alimentos será uma vantagem adicional muito simples – fechar a boca e pronto. Essa atitude é incorreta. Atrapalha todo o metabolismo do corpo deixando-o mais lento e desequilibrado. Depois, para realmente diminuir alguns quilos serão necessárias complexas estratégias nutricionais com foco em primeiramente colocar o metabolismo em ordem. A exemplo, quando se mantém um jejum, ou uma alimentação minimalista, por um período de aproximadamente quatro horas, na próxima refeição quase que tudo é totalmente armazenado. Sai uma ordem do seu cérebro que visa o controle metabólico e hormonal – “guarde agora porque esse cara não come nunca”. Instalado esse quadro a eliminação da massa não desejada se dará de forma mais lenta.  Uma boa reeducação alimentar é composta de todas as refeições tradicionais, ou seja, as seis boas e saudáveis refeições, costumeiramente chamadas de CAFÉ DA MANHÃ, ALMOÇO, JANTAR, mais os lanches intermediários COLAÇÃO, CAFÉ DA TARDE E CEIA. Essa é a regra geral. Dependendo do estilo, necessidade e do objetivo do paciente pode-se acrescentar mais algumas.

Essa é a verdadeira estratégia – o “combo” atividade física mais alimentação. Essa dupla imbatível transforma nosso objetivo em realização.
Um grande contingente de pessoas já desfrutam dos principais benefícios das atividades físicas. Esta pode colaborar com a eliminação, redução ou manutenção do peso, com expressiva melhora das respostas cardiorrespiratórias, melhora da circulação sanguínea, adequação da atividade metabólica, fortalecimento do sistema autoimune, aumento da resistência dos ossos com a prevenção da osteoporose, melhora da coordenação dos movimentos e do nível de equilíbrio; promoção da interação social, melhora da imagem corporal e da autoestima, melhorar da capacidade de aprendizagem, da boa disposição e o do bom humor. E ainda diminui o estresse, o risco de ansiedade, depressão e os níveis nos exames clínicos - diabetes II e colesterol.

Todos esses benefícios são fatores logo encontrados por aqueles que se aventuram no mundo das academias, mas que praticam junto uma boa e equilibrada alimentação. Para você atingir o seu objetivo principal é preciso de um plano alimentar. Esse plano, individual e específico é adequado à sua rotina e ao seu metabolismo. Existe um período natural de adequação e ajustes onde se leva em consideração as particularidades da pessoa. Na elaboração deste plano são estabelecidas metas – que serão buscadas tanto pelo paciente como pela nutricionista e demais profissionais envolvidos.

O primeiro passo é colher as informações sobre o indivíduo. Uma caracterização de todos os dados e hábitos pessoais. No segundo passo temos os exames bioquímicos - exames laboratoriais - e a anamnese clínica verificando os sinais e sintomas, aspectos gerais da pele, unha, cabelo, hidratação e controle do intestino. No terceiro passo se levantam dados sobre a frequência da atividade física, qual modalidade escolhida. Já no quarto e último passo fazemos uma avaliação antropométrica completa. Daí sai a estruturação dos cálculos dos cardápios.

A partir destes dados, relacionados e analisados, é possível o desenvolvimento e adequação do plano alimentar. Lem-bramos que cada cardápio tem o seu objetivo, a sua meta a ser alcançada.

No plano é observada a frequência da hidratação, os macronutrientes (carboidratos, proteínas e lipídeos) e os micronutrientes (vitaminas e sais minerais).
Para os diversos tipos de atividades físicas praticadas existem as quantidades desses ou daqueles alimentos a serem ingeridos. Como foi citado acima é após um período natural de adequação da qualidade da proteína e do carboidrato que vai ser consumido, por exemplo, que poderá ser escolhido apropriadamente esse ou àquele tipo. Será uma proteína de alto valor biológico – mais fácil absorção pelo organismo? Ou será a proteína do leite, do queijo e derivados com o carboidrato integral ou branco? Todos são importantes, mas os detalhes da ordem devem estar prescritos no plano alimentar.
Não esquecer ainda que o prato deve ser sempre colorido. Quanto mais colorido, mais variedade de vitaminas, de minerais e antioxidantes.


DEPOIMENTOS

Camila Mezalira - 21 anos


“Faço exercício físico há nove anos... dos doze aos quinze como atleta de handebol... dos quinze aos dezessete... handebol e musculação. Após os dezessete fiquei apenas com a musculação. Senti necessidade do acompanhamento nutricional quando os resultados não estavam vindo da maneira como eu desejava. Obtive um bom resultado físico, ganhando massa muscular e diminuindo a gordura... com isso meu estado mental melhorou. Não foi difícil mudar a alimentação pois eu já comia corretamente, apenas especifiquei uma dieta para mim, com quantidades e mais qualidade. A mudança do seu corpo? Me sinto muito bem, olho no espelho e estou satisfeita com o que vejo. Isso me deixa extremamente feliz.”


Lucas Baldon - 23 anos




“Eu faço exercícios desde a minha infância, sempre tive uma rotina de 3 a 5 dias na semana praticando alguma atividade esportiva. Entre mais ou menos dos 18 e 22 anos eu me tornei o famoso sedentário atleta de final de semana. No começo do ano, já formado e com “tempo livre” na parte da noite voltei a ter uma rotina regular de atividade física praticando exercícios de 3 a 5 dias na semana. Percebi que durante os cinco anos do meu curso eu havia engordado uns 15 kg. Necessitava voltar ao meu “peso normal” o mais rápido possível, foi quando fui atrás de uma nutricionista. Eu senti uma ótima melhora na minha performance em atividades físicas...muito mais disposição, força e fôlego... Foi difícil mudar? Não. O meu cardápio não tem muitas “frescuras” e nada de mirabolante. Na verdade, após inicio do acompanhamento nutricional eu descobri que poderia comer mais do que comia... Valeu á pena? Muito! Está valendo á pena sim e essa rotina é algo que pretendo adotar como cultura e filosofia de vida... os resultados começam a aparecer de forma mais evidente... vale bastante a pena sim!


Wayne Andrade - 27 anos



Sempre fiz atividades físicas, mas devido trabalho e estudos, fiquei três anos sem me exercitar, neste período minha única atividade era o futebol uma vez por semana. Retornei com as atividades em novembro de 2013. Há quanto tempo faz exercício junto com o acompanhamento nutricional? Desde maio de 2014. Necessidade de procurar um acompanhamento? Resolvi procurar uma nutricionista em abril, pois apenas com a academia não estava surtindo o efeito desejado. Com o acompanhamento o resultado físico foi o emagrecimento rápido e com isso mais motivação para continuar com a rotina da dieta. Foi difícil mudar? No início sim, pois foi uma grande mudança de hábito. Como se sente? Com muito mais disposição, tanto para enfrentar a rotina no trabalho quanto das atividades físicas.

 



Camila Codogno Galego - CRN3 – 37415
Nutricionista esportiva e clínica
Obesidade Infantil     
Atendimento particular e convênios Doctor e Easymed

(19) 3012.1955 | 99191.7064
Rua das Palmeiras, 12, Jd. São Paulo - Americana
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.