logotipo

Balança: “Amiga ou inimiga”

CAMILA CODOGNO GALENO

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em StumbleuponCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

É um prazer ou um tédio passar perto de uma balança? Elas estão em quase todas as farmácias, supermercados, lojas de produtos estéticos, de produtos naturais e consultórios.

Ali estão elas, sempre te vigiando, dizendo: “Olá, estou aqui”. Ou você usa o método de ignorá-la, ou, sede e vai lá se pesar. O que resulta na expressão de “Ufa!”, e às vezes, mais uma frustração. “Não sei o que acontece, essas atividades, as dietas, os regimes não estão resolvendo nada, não consigo emagrecer, continuo com o mesmo peso”. Foi mais uma frustração, e o pior, mais uma vez abandonando já no início uma reeducação alimentar ou a atividade física.
É muito importante levar em consideração, quando se pesar, o horário do dia, se atentar para a roupa que está vestindo, para a temperatura do dia, as mulheres ainda precisam levar em conta o período do ciclo menstrual – dada a oscilação na retenção hídrica.
Muitas pessoas ao fazerem um tratamento nutricional para emagrecimento ou para corrigir uma hipertrofia, utilizam-se da balança para “avaliar” o progresso e a evolução do tratamento. Não é nada útil ficar sabendo do peso todos os dias, uma vez que a balança não é o melhor método para o acompanhamento da composição corporal.
Na balança todas as estruturas do seu corpo são representadas por um único número. Um exemplo comum é o de que quando um indivíduo começa um programa de exercícios e reeducação alimentar, essa pessoa tem, no exemplo, 70 kg e em três meses ele eliminou 1 kg de gordura e ganhou 1 kg de massa muscular. Ele vai permanecer com 70 kg, porém, a composição corporal mudou muito.
Existem métodos mais eficientes para avaliar a composição corporal - como a mensuração das dobras cutâneas, utilizando o aparelho chamado adipômetro. Através desse método é possível estimar a composição corporal separada por componentes, a massa muscular e a massa gorda. Temos ainda a fita métrica, que “observa” o contorno, o perímetro dos locais escolhidos no corpo.           
Dadas suas limitações, a cada dia a balança está sendo menos utilizada como referência. Nosso corpo não é mensurado unicamente através do valor absoluto da massa corporal. Até porque emagrecer é diferente de perder peso! As balanças convencionais não são capazes de separar esses componentes - massa magra e massa gorda. Faz-se necessário seguir um protocolo de avaliação com o uso de aparelhos e métodos adequados para realizar-se uma avaliação precisa.

 



Camila Codogno Galego - CRN3 – 37415
Nutricionista esportiva e clínica
Obesidade Infantil
Acupuntura Auricular Chinesa
Atendimento particular e convênios Doctor, Easymed e Funerária Bom Pastor


(19) 3012.1955 | 99977.7064
Rua das Palmeiras, 12, Jd. São Paulo - Americana
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.