logotipo

Se você não aguenta e come coisas sem valor nutricional...

NATALIA HAEITMANN GIACOMIN

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Pense numa compensação para o seu corpo. Você merece o sabor e ele a saúde. Devagarzinho, comece com alguns bons hábitos alimentares.

Sabe-se que tudo se inicia com a alimentação, desde o ventre da gestante. Boa ou má alimentação é o princípio da vida. Dessa maneira, hábitos alimentares inadequados podem comprometer a saúde como um todo, gerando desequilíbrios em nossos tão desejados bem estar e qualidade de vida. O que comemos afeta diretamente nossa capacidade de trabalhar, estudar e nos divertir - nossa aparência e nossa longevidade. Falamos da alimentação diária, e não do churrasco do encontro com os amigos. 

Nos dias de hoje todos estamos sobrecarregados, com trabalho, filhos, afazeres domésticos, cursos, responsabilidades diversas, ou seja, uma vida corrida, sem tempo se quer para almoçar direito. Por isto, não prestamos atenção àquilo que colocamos no prato, no nosso lanche, e nos enchemos de gorduras saturadas, gorduras trans, dos refrigerantes, dos salgadinhos, doces, frituras, fast-food, etc. Já erramos na compra. Sem perceber que essa atitude nos leva ao esgotamento físico, diminuindo o estoque de nutrientes, que são invariavelmente necessários ao bom funcionamento do organismo – e do cérebro.

Os alimentos são as mais importantes fontes de nutrientes e conseguir alimentar-se, ingerindo aqueles nutrientes específicos que irão melhorar e nutrir o corpo é fundamental para a manutenção da saúde e prevenção de doenças. Saber se alimentar, conforme suas necessidades, significa “comer para viver” e não “viver para comer” – é a troca da quantidade pela qualidade. Cabem aqui opções de suplementos nutricionais.

Por tudo isso, a reeducação alimentar é de suma importância para que consigamos entender e aprender - ou reaprender - o significado e as possibilidades de se comer bem. Devemos de início, paralelo aos maus hábitos, se esforçar para por em prática alguns bons hábitos.

Alimentos de época 
Mês de abril



Abacate.
Um poderoso alimento rico em vitamina E, gorduras monoinsaturadas – ômega 9 – importantes sais minerais e glutationa, nutrientes importantes para melhorar o funcionamento das hemoglobinas, melhorar o perfil lipídico, reduzir o estresse oxidativo das células - reduzindo assim os riscos de se desenvolver doenças como diabetes, câncer, cardiopatias, artrite e catarata. Ajuda no controle dos efeitos da tensão pré-menstrual, diminui a retenção de líquidos, auxilia na perda de peso. 



Abóboras. Nutritivas e com boas fontes de betacaroteno, vitaminas C e E, e, do complexo B. Propriedades antioxidantes, rica em fibras, que auxiliam no bom funcionamento do intestino. Ajuda na sensação de saciedade. Fonte de cálcio, fósforo, ferro e potássio. Seus nutrientes antioxidantes parecem estar associados a uma redução no risco de certos tipos câncer, doenças cardiovasculares, derrames e problemas oculares - como a catarata. 

Nabo. Contém fitonutrientes e glicosinolato, com propriedades inibitórias de crescimento de tumores no organismo. Ação antiinflamatória devido às boas fontes de vitaminas do complexo B. Enquanto a raiz é mais rica em Vitamina C, as folhas fornecem as vitaminas E, A, K e C, manganês e betacaroteno. Três nabos médios chegam a fornecer 20% da necessidade diária de fibras. 

Com pequenas mudanças de atitudes estaremos nutrindo nossas células e não apenas comendo algo, matando aquela fome com muitos sabores. Para um planejamento bastante factível, você pode consultar o seu nutricionista. Ficam aí nossas dicas. E boa saúde.

 

 

Confira algumas dicas muito importantes. 
Você pode escolher o seu começo.

  • Estabeleça um objetivo, tenha paciência para alcançar suas metas. 
  • Experimente variar a alimentação com diferentes tipos de preparações. 
  • Aumente o consumo de frutas, legumes e verduras. 
  • Modere as quantidades de açúcares, sal e sódio. 
  • Evite consumo de bebida alcoólica. 
  • Beba, no mínimo, oito copos de água por dia entre as refeições. 
  • Estabeleça horários fixos para se alimentar. 
  • Evite longos períodos em jejum e fracione as refeições - café da manhã, lanche, almoço, lanche da tarde, jantar e ceia. 
  • Dê preferência para se alimentar em ambientes tranquilos, evite assistir televisão enquanto come e esqueça um pouco do celular também. 
  • Inicie as principais refeições pelos vegetais crus e folhosos, como o alface e a rúcula, eles aumentam a saciedade e ajudão a reduzir o apetite. 
  • Crie o hábito de praticar atividade física. 
  • Evite ingestão de líquidos durante as refeições 
  • Consuma alimentos ricos em fibras – cereais, como aveia, farelo de trigo e arroz integral. 
  • Dê preferência às carnes magras - frango sem pele, grelhado, cozido, peixes. 
  • Monte um prato saudável, colorido e equilibrado: metade dele deve ser composto por uma salada bem variada de folhas e legumes, a outra metade pode ser ocupada por uma opção de carboidrato (arroz, batata ou massas, dando preferências aos integrais), proteína (soja, peixe, frango ou carne vermelha) e leguminosa (feijão, grão de bico, ervilha ou lentilha). Evite repeti-lo. Consuma sempre uma fruta fonte de vitamina C após as principais refeições. 
  • E para finalizar prefira consumir os alimentos da época, pois além de serem mais nutritivos também apresentam preços mais reduzidos, conseguindo dessa forma, variar o cardápio, através de alimentos mais saborosos e fresco


Natalia Haeitmann Giacomin - CRN3 44211
Nutricionista

(19) 99718.6651
Rua Operário Osvaldo dos Santos, 46
Jd. Santana – Americana

 nutrinati