logotipo

Nutrição e terceira idade. Amigas inseparáveis.

CAMILA CODOGNO GALEGO

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

É possível fazer uma boa nutrição e torná-la a base do equilíbrio físico e mental nessa época da vida?

Conceitualmente o envelhecimento se inicia quando cessa a fase de crescimento e desenvolvimento da pessoa. Aproxima-damente, aos sessenta e cinco anos de idade é chegada a terceira idade. O envelhecimento em si se dá quando as estruturas do corpo e suas atividades declinam, com o ritmo de reconstrução estrutural e funcionamento biológico não supera o desgaste físico funcional. As perdas derivam da genética,  má alimentação e do estilo de vida.
Com a intervenção nutricional podemos prolongar a vida, impedindo doenças causadas por erros alimentares e má nutrição.
Para iniciarmos uma dietoterapia (alimentação especifica) é levado em conta o peso, a altura, as circunferências, e a avaliação da massa muscular. Deve ser observada também, fisiologicamente, a capacidade de percepção dos sabores (diminuição do paladar e olfato), a deglutição (dificuldade ao mastigar), a diminuição de saliva e a xerostomia (boca seca),a perda dos dentes ou próteses e o emagrecimento.
Solidão, viuvez, depressão, alcoolismo,são apenas alguns exemplos de sintomas que também devem ser levados na análise, assim como patologias, do tipo obesidade ou magreza e desnutrição, o diabetes, hipertensão arterial, doenças do coração, insuficiência digestiva e a obstipação.
Uma vez analisados todos estes fatores, podemos elaborar um planejamento alimentar – não é tão simples como podemos ver e por isso merece atenção especial. A boa estrutura alimentar começa então a ser recolocada na vida do idoso, observando-se o gasto energético diário.
A má alimentação, como a falta de consumo de frutas, verduras e produtos integrais e a falta de atividade física regular podem aumentar as chances de ter um envelhecimento acelerado
As orientações iniciais para um planejamento alimentar e necessário fazer, pelo menos, três refeições ao longo do dia - o café da manhã, o almoço e o jantar. E nos intervalos, buscar fazer os lanches intermediários - lanche da manhã, lanche da tarde e ceia (antes do dormir). Deve-se sempre evitar refeições volumosas, estabelecer horários rotineiros para as refeições, comer devagar, mastigar bem. Dar preferências aos produtos integrais, cereais, farelos, frutas, legumes e as verduras, lembrando de apreciar cada refeição, sentando-se confortavelmente à mesa e beber líquidos após trinta minutos das refeições para melhorar a absorção das vitaminas e minerais.

Camila Codogno Galego - CRN3 37415
Nutricionista Clínica e Esportiva Acupuntura Auricular Chinesa




(19) 3012.1955 | 99977.7064
Rua Fernando de Camargo, 895 - 8º andar, sala 84, Centro - Americana
Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.