logotipo

Aparelhos para reposicionamento dentário com brackets autoligados

CLÁUDIA REGINA FURLAN ROMI

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em StumbleuponCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Técnica de excelente eficácia otimiza o tempo de tratamento

A ortodontia, nos últimos vinte anos, presenciou o surgimento de inúmeros materiais inovadores, novas técnicas e até mesmo novos conceitos.
Tudo isso vem de encontro com as novas demandas dos pacientes, ou seja, todos buscam por tratamentos mais eficazes, mais conservadores e que sejam finalizados dentro do menor tempo possível.
Dentro dessa expectativa, vemos o ressurgimento dos brackets autoligados, que já haviam sido lançados há décadas atrás sem muito sucesso, e que são aqueles que não necessitam de ligaduras metálicas ou elásticas para prender o arco ou fio ortodôntico, que é o que efetivamente provoca o movimento dentário.
Inúmeras pesquisas científicas nacionais e internacionais têm demonstrado que a eficiência do aparelho autoligado se dá pela diminuição do atrito entre o fio e o bracket quando comparado àquele gerado nos brackets que necessitam de ligaduras. Sendo assim e trabalhando com fios metálicos altamente tecnológicos devido a combinação de cobre, níquel e titânio, vemos uma movimentação otimizada dos dentes. Durante o processo, além de podermos realizar consultas mais espaçadas, pois os fios trabalham por si, os pacientes percebem um menor tempo na cadeira do ortodontista, uma menor sensibilidade à dor e, finalmente, uma abreviação no tempo de tratamento em torno de 20 a 30%.
Nos EUA, essa técnica está sendo amplamente utilizada por cerca de 70% dos ortodontistas e aqui no Brasil, menos de 10% dos ortodontistas estão habilitados para aplicá-la.
Como toda técnica, mais do que o treinamento e a habilidade do profissional que a executa, dentro da especialidade de ortodontia, em primeiríssimo lugar está o minucioso estudo das características dentárias e faciais do paciente, ou seja, o correto diagnóstico e um planejamento detalhado com todos os objetivos do tratamento ortodôntico desejados, sempre baseado nos princípios biológicos para se atingir resultados confiáveis e estáveis.

 

Dra. Cláudia Regina Furlan Romi - CROSP 41.821
Graduação em Odontologia pela Unicamp, Pós-Graduação Especialista
em Ortodontia e Ortopedia Funcional dos Maxilares pela USP-Bauru.

(19) 3463.4669
Rua Riachuelo, 965 - Centro
Santa Bárbara d’Oeste/SP - CEP 13.450-020
www.ortoconceito.com.br