logotipo

SEU PET NO VETERINÁRIO. COMO TIRAR MELHOR PROVEITO DA CONSULTA

SALETE RODRIGUES CANDIDO

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Cinco dicas importantes para o momento da consulta

A rotina de um hospital veterinário é intensa, e todos os dias muitos cães são consultados. Deparamos com situações muito diferentes, e com certeza, um dos fatores mais importantes durante as consultas clínicas é a comunicação entre o tutor e o médico veterinário.
Muitas pessoas chegam com o pet para a consulta sem saber passar informações importantes, que precisamos para um melhor diagnóstico. Quem leva torna-se o responsável, e precisa nos comunicar dos detalhes - afinal nossos pacientes pets não falam.
Vocês se lembram daquele filme, clássico, do Dr. Dolittle, que tinha um super poder de conversar com os animais? É o sonho de todo veterinário, afinal, a comunicação errada pode nos desviar do caminho mais certo.
Nossos pacientes nos dizem muito com sua postura corporal, seus sintomas, mas ainda assim precisamos de muito mais.
Para a consulta do seu pet ser eficaz é importante que quem o leve ao veterinário conheça os hábitos e a sua história, por que a primeira fase da consulta é o que chamamos de anamnese – haverá perguntas sobre a rotina do pet, os hábitos alimentares, aspectos de urina, aspecto das fezes, sobre seu comportamento e mudanças percebidas nos últimos tempos, e só depois partimos para o exame físico em si.
Então, em um bom diagnóstico, juntamos os dados dessa anamnese, mais os achados que verificamos no exame físico, mais os resultados dos exames laboratoriais e de imagem.
Por isso vou dar cinco dicas para você estabelecer uma boa comunicação com o seu médico veterinário, durante uma consulta:

Dica 01 - Faça o possível para levar pes-soalmente seu pet ao veterinário. A mais indicada é a pessoa que sabe tudo sobre ele. Se não der, envie tudo por escrito, idade, peso, o que ele come/marca, quantidade, se usa alguma medicação continua, problemas já existentes, se é alérgico a alguma coisa, se já fez cirurgia. Esses são dados que o veterinário precisa saber;
Dica 02 - Faça uma lista com todos os sintomas que estão ocorrendo, e com todas as suas dúvidas;
Dica 03 - Leve a carteirinha de vacina-ção, e os exames realizados no último ano.
Dica 04 - Se possível fotografe com seu celular se ele teve alguma alteração estranha em fezes urina ou vômito, fotografe se teve algum inseto que ele tenha tido contato, qualquer coisa que possa estar relacionada com os sintomas atuais.
Dica 05 - Se ele estiver com algum sin-toma que apresenta só de vez em quando, como tosse, engasgo, comportamento estranho, tente filmar para mostrar para o veterinário, pode ser que ele não apresente no momento da consulta e ficará mais fácil o veterinário interpretar.

Tudo isso faz com que a consulta seja muito melhor aproveitada, e o veterinário pode ser mais eficaz no diagnóstico.
E uma dica bônus sobre proteção: sempre confira se a guia do seu pet está bem segura. Normalmente eles ficam agitados quando vão ao veterinário, porque encontram outros pets, alguns ficam com medo e outros querem interagir, por isso há risco de fuga - então todo cuidado é pouco. Espero ter ajudado, até mais!


saleterodrigues bio

DRA. SALETE RODRIGUES CANDIDO
CRMV-8764
Médica Veterinária e Diretora da
L&M Hospital Veterinário


latidosemiados logo


(19) 3468.2845 | 99782.0377 | 99894.7579

Av. Paschoal Ardito, 1043 - São Vito | Americana
LMveterinaria
Aberto 24 horas