logotipo

Gripe canina

SALETE RODRIGUES CANDIDO

Gostou? Compartilhe!

Compartilhar em FacebookCompartilhar em Google PlusCompartilhar em StumbleuponCompartilhar em TwitterCompartilhar em LinkedIn

Com a prevenção, você pode proteger ainda mais seu pet no inverno

A gripe canina, também conhecida como “tosse dos canis”, ou, “ traqueíte  infecciosa “, ou, “traqueobronquite canina” é uma doença contagiosa que pode acometer os nossos pets, principalmente no inverno. Por isso, nesta época do ano, eles devem receber uma atenção toda especial. 

É uma doença que pode ser causada por vírus e ou bactérias. É altamente contagiosa entre os cães, o que se dá através do contato direto de secreções respiratórias de cães contaminados ou objetos contaminados por eles. Os agentes que podem estar envolvidos nesta doença são os vírus da Influenza e Adenovírus Tipo 2 - além da bactéria Bordetella  bronchiseptica. O vírus pode permanecer vivo em superfícies por até quarenta e oito horas. Nos cães contaminados o vírus se multiplica nas secreções nasais entre dois e quatro dias, e o pet pode espalhá-los por até dez dias seguidos.

O pet tende a apresentar os sintomas de tosse, espirro, engasgos - como se estivesse com algo na garganta - febre, desidratação, falta de apetite, coriza, e, em casos que se agravam, a pneumonia.

A prevenção da gripe canina é feita com a vacinação. A vacina pode ser feita na forma injetável ou intranasal. Deve ser aplicada nos filhotes a partir dos dois meses de vida, com reforços anuais. A vacinação protege o pet do vírus e da bactéria, mas não trata a doença no paciente já contaminado.

O tratamento da gripe canina é paliativo. O pet precisa de cuidados para não desidratar, debilitar e ter agravado o quadro clínico. Para isso, é necessário suporte hídrico e alimentar, com antibióticos para prevenir e combater também infecções secundárias, além de outros medicamentos em função dos demais sintomas apresentados.

Todo paciente que apresentar o estado gripal deve ser isolado de outros cães por pelo menos duas semanas - e seus pertences devem ser bem higienizados diariamente.

Não espere acontecer. Você pode procurar o seu médico veterinário de confiança e solicitar a vacinação do seu pet. Caso você perceba que ele apresenta alguns dos sintomas apontados, leve-o para uma consulta o quanto antes. E, lembre-se de mantê-lo sempre aquecido, com um lugarzinho bem aconchegante para se proteger do frio. A prevenção pode ajudá-lo, neste inverno que promete ser um pouco mais rigoroso para os peludos.


 

M.V. Salete Rodrigues Candido – CRMV/SP- 8764
Diretora da L&M
Especialista em Fisiatria Veterinária.

(19) 3468.2845  |  99782.0377
Av. Paschoal Ardito, 1043, São Vito - Americana
  LMVeterinaria
Aberto 24 Horas